Diário de Bordo: Cuba

Blog, destaque

Em geral, Cuba é um país com muita limitação de recursos e insumos, e essa característica se reflete em alguns setores de serviços e industriais, como o design. Por isso, o viajante em Cuba deve ampliar o seu olhar e perceber a sutileza cultural manifestada e misturada em diferentes contextos. Os principais são a arquitetura, cinema, música e as artes plásticas. Porém, o país está em mudança e novas formas de expressão estão surgindo. Abaixo, alguns dos pontos que eu achei mais relevante para compartilhar com o nosso contexto de embalagem e design gráfico.

Charutos Cubanos

Talvez um dos produtos mais icônicos do país, os charutos cubanos são os mais admirados do mundo. Seguindo um processo de produção rígido e cuidadoso, a qualidade desses charutos fez fama mundial. É interessante perceber que essa qualidade não se limita às características do produto em si. Os charutos cubanos são vendidos em luxuosas caixas de madeira que conferem o elevado status do produto. Essas embalagens além de conservar o produto, são essenciais para verificar a autenticidade do produto. É recomendável que o consumidor sempre compre em lojas oficiais, mas é sempre bom verificar se as caixas dos “puros” possuem essas características essenciais:

Assim, o cuidado com a embalagem têm um papel fundamental para garantir que o charuto cubano seja o mais desejado do mundo.

Ps: para este tópico, precisei buscar algumas imagens no Google. Era proibido tirar fotos na lojas e obviamente, eu não comprei as caixas caras.

FAC: Fábrica de Arte Cubano

Localizado em Havana, esse centro cultural instalado em uma antiga estação elétrica do início do séc. XX é um dos locais mais badalados da cidade. Com a ideia de reunir diferentes manifestações artísticas em um mesmo local, na FAC, os visitantes podem vivenciar o olhar contemporâneo do artista cubano. Música, moda, arquitetura, design, artes plásticas, cinema, teatro e gastronomia. Esses são apenas alguns exemplos artísticos encontrados lá. Frequentado tanto por turistas quanto por moradores locais, esse lugar é ideal para sentir a essência dos tempos atuais em Cuba: uma sociedade singular que está se transformando e evoluindo sem perder sua identidade.

Arquitetura em Havana

Principal cartão postal de Cuba, Havana reúne pérolas da arquitetura colonial, barroca, neo-clássica e Art Déco. Em um rápido passeio pela cidade, é fácil perceber que os poucos edifícios conservados ficam em locais de grande concentração turística, enquanto o restante da cidade não possui a mesma manutenção. Esse contraste visual é um tema muito explorado por artistas, que entendem que isso não é somente uma questão de urbanismo, mas também é uma representação do cenário político e social cubano. Um dos melhores locais para vivenciar esse olhar, é o Centro Wifredo Lam, localizado na Plaza de La Catedral, que reúne obras de artistas contemporâneos que propõem opiniões reflexivas e críticas sobre o assunto.

Taller Experimental de Gráfica

Para os interessados em ter contato com as artes gráficas cubanas, este galpão é o lugar ideal para visitar. Além de um acervo de materiais editoriais, publicitários e de embalagens da época em que havia livre comércio em Cuba, o Taller ainda possui uma coleção de máquinas de diferentes métodos de impressão: litogravuras, xilogravuras e metalogravuras. Também é possível comprar obras exclusivas que dificilmente se acharia em um roteiro turístico convencional.

Cultura humanizada­

Além de ser um roteiro peculiar pela sua situação política, Cuba é um excelente país para viver uma experiência cultural. Praias paradisíacas, florestas tropicais, campos agrícolas e cidades que ainda exalam um tempo diferente do nosso são apenas alguns dos cenários em que se sente a identidade Cubana. Porém, não é só a beleza visual que impressiona. O grande destaque do país é seu povo. Pessoas que ainda não estão vivendo em uma sociedade digitalizada, os cubanos ainda possuem uma forma de se comunicar muito humanizada e amigável. Conversar com um cubano é deixar de lado as barreiras virtuais e dar espaço aos nossos sentimentos naturais. A viajem para Cuba não termina lá. Conhecer o país faz com que você percorra o seu próprio tempo, pense no passado, reflita sobre o futuro e talvez, tenha uma nova visão sobre o futuro.